20 anos do modelo de Organizações Sociais: evento tem presença do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso

No dia 28 de maio de 2018, a Associação Brasileira das Organizações Sociais de Cultura – ABRAOSC, em parceria com o Instituto Brasileiro das Organizações Sociais de Saúde – IBROSS, realizou o evento “20 anos de parceria, OS é solução” no Teatro Sérgio Cardoso, em São Paulo. O referido teatro é gerido pela Organização Social Associação Paulista dos Amigos da Arte – APAA. Com mais de 750 inscritos, o evento contou com uma programação especial com temas dedicados à discussão sobre o modelo de Organizações Sociais nos âmbitos da cultura, saúde, ciência e tecnologia e participação de importantes nomes para o fomento do tema, entre eles do ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso. Além do lançamento da campanha “OS é solução”.

O público foi recepcionado no mezanino do teatro com um café da manhã de boas-vindas, seguido da abertura oficial com uma mensagem em vídeo do Governador de São Paulo, Márcio França. Na sequência, o Secretário da Cultura do Estado de São Paulo, Romildo Campello, subiu ao palco para falar da importância do modelo de OSs, a eficiência na gestão dos equipamentos e a integração com a Secretaria da Cultura.

Na continuação da programação, a mesa de abertura recebeu Luís Sobral, diretor presidente da ABRAOSC, Felipe Sigollo, Secretário Executivo Adjunto do Ministério da Educação, Renilson Rehem, Presidente do IBROSS, Leonardo Moura Vilela, Presidente do Conselho Nacional de Secretários de Saúde – CONASS, Romildo Campello, Secretário da Cultura do Estado de São Paulo, e Sérgio Freitas, presidente do Conselho da ABRAOSC.

Após a palavra das autoridades, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso participou, ao lado do presidente do Conselho Administrativo da APAA, José Gregori, da palestra “A reforma do Estado: 20 anos do modelo de OS”. Fernando Henrique explanou sobre a criação da Lei nº 9.637, de 15 de maio de 1998, que qualifica as OSs, e o contexto de transformação em que o mundo estava inserido na época de sua criação. Também defendeu o modelo e a ideia de um trabalho em conjunto entre o setor privado, o Estado e a sociedade. “Não é possível haver boa OS se não houver bom governo. O governo tem que fiscalizar e controlar, o contrato de gestão é isso, pois especifica o objetivo e dota a administração [das OSs] de sentido”, comentou o ex-presidente. “[O governo] procura definir metas mensuráveis desta questão, fiscaliza e incorpora a ação dos outros em um esforço coletivo”, completou Fernando Henrique sobre o trabalho em conjunto que deve ser feito por todas as partes. Em breve, disponibilizaremos em vídeo mais trechos da palestra do ex-presidente.

Durante a tarde, os convidados conferiram a palestra “Experiências de Sucesso do modelo de OS”, com mediação de Ana Maria Malik, coordenadora da FGV/Saúde, e participação de Luis Sobral e Beth Ponte, ABRAOSC, Nacime Mansur, vice-presidente do IBROSS, e Marcio de Miranda Santos, presidente do Centro de Gestão e Estudos Estratégicos – CGEE, onde foram apresentados cases de sucesso nas áreas de cultura, saúde e ciência e tecnologia. Na sequência, o público foi convidado para um café ao som do quarteto de jazz da EMESP, administrado pela OS Santa Marcelina Cultura, e leitura de poesia com o projeto ”Leitura ao Pé do Ouvido”, da Organização Social SP Leituras, que consiste em abordagens individuais para a leitura de breves poemas.

O último debate do evento foi seguido do tema “20 anos de Parceria”, com mediação de Cristiane Segatto, repórter especial da Revista Época, e presença de Leonardo Moura Vilela, Presidente do CONASS, Renilson Rehem, Presidente do IBROSS, e Clóvis Carvalho, vice-presidente do Conselho da ABRAOSC, que contribuíram de forma significativa com informações e defenderam que o modelo seja mais notório e entendido pela sociedade como um todo. “O papel do Estado é o de formular a política, definir os resultados e acompanhar. E, do outro lado, a Organização Social que vai definir a estratégia de execução dos programas para atingir aqueles resultados”, comentou Clóvis Carvalho em sua fala na defesa de uma gestão em conjunto para uma melhor entrega de cultura para a sociedade.

Duas atrações culturais encerram o dia. Apresentação dos alunos de sonoplastia da SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco, equipamento gerido pela OS Associação dos Artistas Amigos da Praça, e a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, administrada pela OS Fundação Osesp, e a São Paulo Companhia de Dança, administrada pela OS Associação Pró-Dança, que apresentaram dois trechos da premiada coreografia The Seasons, de Edouard Lock, criada para a SPCD.